Mostra Despedida/Confraterniz/Ação Sala 209/Dança

Na Sala 209/Usina do Gasômetro.

COLETÂNEA SALA 209
Montagem: Luciano Tavares

O espaço da Sala 209 na Usina do Gasômetro fez parte do projeto Usina das Artes e se consolidou como a sala da dança na cidade de Porto Alegre, uma referência em espaço público, espaço multiuso, gerido por artistas de dança contemporânea e que democraticamente administraram o espaço acolhendo a todos que lá chegavam.  O espaço Sala 209 que é uma sala ampla, com linóleo, chão de madeira,  pé direito alto, tem o que um espaço com as especificidades que a dança necessita para seu desenvolvimento, seja utilizando o espaço para ensaios e desenvolvimento de processo, para ministrar oficinas, mostrar seu trabalho artístico ou e inclusive, ações artísticas e políticas, alguns projetos lançados pelos gestores da sala, como projeto de residência artística, Mostra Movimento e Palavra que está na sua 13° edição com bate papo ao final e outras tantas ações. Por lá passaram artistas de todo mundo.


COLETÂNEA SALA 209-2
Montagem: Luciano Tavares

Apenas escrevo para situar a quem ainda não sabe ou não entendeu a importância deste espaço para quem faz e insiste em fazer dança por aqui, no sul do sul do Brasil.
Esta galera aí embaixo é só um pequeno em quantidade porem potente em qualidade de artistas que acreditaram no conceito de espaço público gerido por artistas com autonomia para criar, gerir, produzir arte contemporânea e como espaço político de dança.


Às 15h – sob coordenação de Cibele Sastre – Global Water Dances
Promovido pelo LIMS-Laban/Bartenieff Institute of Movement Studies de NY


Às 19h – Mostra Despedida/Confraterniz/Ação Sala 209/Dança

Luciane Soares/Tatiana da Rosa

COLETÂNEA SALA 209-3
Montagem: Luciano Tavares

Dagmar Dornelles / Luciana Paludo / Ana Medeiros / Eduardo Severino / Ânima Cia de Dança com Viviane Lencina, Renata de Lélis, Licia Arosteguy e Alexsander Vidaleti. / Uantpi Flowjack / Leticia Paranhos – coletivo N /Verinha Carvalho / Iria Barcellos / Bia Diamante /Fernanda Carvalho Leite/Grupo Tato com Augusto de Magalhães, Guadalupe Rausch, Janaína Ferrari, Leonardo Takazono e Roberta Fofonka.

Carla Vendramin / Andrea Spolaor / Luciano Tavares / Mônica Dantas / Thais Petzhold / Cibele Sastre / Emily Chagas / Ulbra / Uergs / Esefid

Entrada Gratuita


*GLOBAL WATER DANCES – DESC/UFRGS vida às águas Dia 24 de junho às 15h Porto Alegre estará em rede com outras 100 cidades de todo mundo para dançar em proteção às águas do planeta por meio do Global Water Dances e do projeto de extensão Dança Educação Somática e Criação do Curso de Dança da UFRGS. Global Water Dances é um projeto de danças em conexão global que reúne mais de 100 cidades ao redor do mundo e visa celebrar e manifestar a importância da água em nossas vidas em meio a tantos descuidos e descasos. Idealizado e promovido pelo Laban/Bartenieff Institute of Movement Studies – LIMS – Nova Iorque há mais de 7 anos em meio a uma conferência que reuniu artistas de dança e ambientalistas, o projeto emerge da questão: como a dança pode mobilizar as pessoas para proteger o planeta? “Quando as pessoas dançam juntas, elas se conectam por meios potentes e geram em si uma noção de agenciamento pessoal e interpessoal” diz Vannia Ibargen, Diretora Artística do Global Water Dances. Uma dança coral é singularizada em cada cidade e grupo que integra esta rede. Porto Alegre integra esta conexão através do projeto de extensão Dança, Educação Somática e Criação –DESCconduzido pela professora, coreógrafa e analista de movimento formada no LIMS Cibele Sastre do Curso de Dança da UFRGS. Os participantes do projeto são pessoas ligadas à dança e educação somática da comunidade portoalegrense e estarão na Sala 209 da Usina do Gasômetro a partir das 15h do dia 24 de junho para dar início à coreografia que manifesta o desejo de despoluição do Lago Guaíba, apontando os descasos com os esgotos cloacais e industriais e a necessidade de uma educação ambiental para uma mudança de hábitos na relação que temos com o desperdício da água potável e com o armazenamento do lixo urbano. O cartão postal da cidade é conhecido como paisagem de contemplação, mas também é conhecido como um lago poluído que a cidade não cuida. O desejo de manter o Guaiba limpo é disparador de um trabalho coreográfico-performativo que também faz parte das apresentações que encerram as atividades de uma das salas públicas de dança da cidade, a Sala 209. Palco de atividades experimentais de danças contemporâneas e de diálogos entre bailarinos, coreógrafos, artistas e público por meio de oficinas, espetáculos e interfaces com outras áreas, a sala 209 e sua programação vem sendo sustentada pela gestão da Eduardo Severino cia de Dança em colaboração com diferentes companhias ao longo dos últimos 10 anos dentro do projeto Usina das Artes. Com a reforma da Usina e a dispersão do projeto Usina das Artes, dezenas de grupos, artistas, pesquisadores em dança e espectadores não mais poderão usufruir de um espaço público com a vista mais privilegiada da cidade junto ao Lago Guaiba para o desenvolvimento e apresentação de obras artísticas de dança. Assim o grupo DESC convida a comunidade para juntar-se aos bailarinos a partir das 15h do dia 24 de junho na sala 209 onde além de assistirem e testemunharem o trabalho coreográfico-performativo do grupo, poderão participar do flash mob que finaliza a apresentação das vida às águas junto à orla. “Sabemos que as Global Water Dances mudam atitudes de pessoas sobre a água” diz Ibarguen que também recolhe donativos para ONGS e instituições ambientais de todo mundo. Informações sobre edições anteriores estão disponíveis no site http://www.globalwaterdances.org ONGs e instituições ambientais interessadas em integrar nossa ação, bem como quaisquer interessados podem entrar em contato com Cibele Sastre através do e-mail: cibsastre@gmail.com ou pelo fone: WhatsApp 51 99958 3038. “Do what you can, do it with others, do it with passion” – Guy Rider, Chair of UN-Water, on the power of individuals to change the world. SERVIÇO: GLOBAL WATER DANCES – DESC/UFRGS – Vida às águas dia 24 de junho 15h Início na Sala 209 da Usina do Gasômetro + Percurso até a orla do Guaiba – Ala do Pier (em frente à galeria dos arcos – térreo da usina) Direção: Cibele Sastre

 

Descontando Histórias Eduardo Severino e Carla Magalhães

Trabalho desenvolvido a partir de convite para o Projeto A Casa Dança à ser desenvolvido e apresentado na Casa de Cultura Mario Quintana. Obra que faz uma abordagem abstrata sobre nossas memórias, memórias de Eduardo, memórias de Carla, memórias da casa, antes Hotel Majestic. Será encenada no ex. café/restaurante dos Cataventos, térreo da CCMQ no dia 13 de junho, terça feira às 18:30.19074096_10158966360330457_1651364993_n

 

Nenhuma história a ser contada, memórias que ficam, memórias que passam, são o fio condutor para a obra feita em parceria pelos dois artistas, Carla Magalhães, artista e educadora e Eduardo Severino, Coreógrafo/bailarino.

Nossas memórias são memórias cheias de salas de memórias, quartinhos, caixinhas, sons, imagens.. de ciclos de memórias..a memória seria um ciclo? pertence ao tempo sem tempo..tempo-ciclo pois infinito-finito.


o tempo como eco.. eco do tempo como espelho e reflexo do eco e do tempo. a água é o maior reflexo do tempo.. bilhões de anos se reciclando, retornando, secando..evaporando..virando vida..”ciclando”.. nosso corpo que é água de milhões ,trilhões de memórias.. água..contida.. partida- pertencida.. ao corpo ao ambiente..pertence ao tempo..


A trilha de Nico Muhly – Drones in large cycles e O Copo Vazio de Gilberto Gil e Chico Buarque de Holanda, a poesia de Mario Quintana – Essa lembrança que nos vem às vezes…, obras em vídeo, vestimenta e elementos cênicos de Carla Magalhães , a escrita no corpo por Eduardo Severino e a luz de Zézinho, compõe esta “ folha súbita que tomba” (Mario Quintana)


O projeto “A Casa Dança” tem curadoria de Marco Fillipin e idealização de Jessé Oliveira.


Essa lembrança que nos vem às vezes… Mario Quintana

Essa lembrança que nos vem às vezes… folha súbita que tomba abrindo na memória a flor silenciosa de mil e uma pétalas concêntricas… Essa lembrança… mas de onde? de quem? Essa lembrança talvez nem seja nossa, mas de alguém que, pensando em nós, só possa mandar um eco do seu pensamento nessa mensagem pelos céus perdida… Ai! Tão perdida que nem se possa saber mais de quem!

 

DIA INTERNACIONAL DA DANÇA COOPERAÇÕES EM MOVIMENTO

Programação  comemorativa ao

Dia Internacional da Dança

COOPERAÇÕES EM MOVIMENTO

Na Sala 209/Usina do Gasômetro

Dia 27, quinta, espetáculo IN/compatível? da Eduardo Severino Cia de Dança com Luciano Tavares, Viviane Gawazee, Andrew Tassinari e Eduardo Severino na Sala 209/Usina.

Dia 28, sexta, Luciana Paludo convida com “O corpo é”. Luciana Paludo + Eduardo Severino e os músicos Leo Dias e João Maldonado na Sala 209/Usina.

No dia 29 de abril, sábado, Dia Internacional da Dança, durante todo dia na Sala 209 na Usina do Gasômetro.


Dia 27, quinta, IN/compatível?  com Eduardo Severino, Andrew Tassinari, Luciano Tavares e Viviane Gawazee, às 20h – preço único R$ 15,00

Sobre o espetáculo:

IN/compatível? Teve estréia no ano de 2005 no primeiro ano de projeto Usina das Artes e em 2016 em comemoração aos 15 anos da Cia. resolvemos remontar este trabalho que é um dos mais emblemáticos de nossa trajetória, além do núcleo artístico principal da Cia. Luciano Tavares e Eduardo Severino fazem parte desta remontagem os criadores/intérpretes Andrew Tassinari e Viviane Gawazee.

13256048_700726960065430_9026929260122285029_n
Foto: Luis Paulot

O trabalho retrata de maneira bem-humorada e com muita ironia a robotização da união entre quatro personagens através de uma linguagem contemporânea, com quatro personagens que se entrelaçam em seus sentimentos. Em cena, os quatro intérpretes negociam seus sentimentos atrás de uma escrivaninha que também é cama, que também é chão, os seres negociadores do amor trajam um figurino pop que sugere um mundo mecanicista com relações vazias e distantes, onde os corpos ficam evidenciados no intuito de questionar o culto ao corpo existente em nossa sociedade, o mecanicismo de nossas relações e a robotização de nossos comportamentos cotidianos. A abundância de imagens e sensações sugeridas pelo cotidiano e a aridez e artificialidade nas relações humanas foi o ponto de partida para a pesquisa coreográfica e para a remontagem/recriação desta obra.


Dia 28, sexta, “Luciana Paludo Convida” com “O CORPO É”. Com Luciana Paludo, Eduardo Severino e os músicos Leo Dias e João Maldonado, às 20h, ingressos -R$ 20,00 e R$ 10,00(classe artística, idosos e estudantes).

Sobre o espetáculo:

O espetáculo estreou em 16/07/2016, na 4ª edição do Projeto Luciana Paludo convida – Projeto contemplado com o Prêmio Açorianos de Dança, na categoria Formação e Difusão em Dança, em 2016.

CRW_0820_1
Foto: Cláudio Etges

O que inspira Luciana e Eduardo para este espetáculo é justamente a ‘matéria bruta’ que é o corpo. O trabalho para tornar o corpo sensível – para que essa ‘matéria’ resulte em possibilidades, de modo que possa formar uma obra em dança.

Os artistas têm carreira consolidada como intérpretes e criadores. Em comum, o trabalho diário para manutenção do que julgam necessário para ser-estar em suas danças; também o trabalho em cooperação com outros artistas. Para além do gosto de estabelecer trocas e parcerias para a criação, acreditam que o trabalho colaborativo seja uma das estratégias de sobrevivência na arte.

Leonardo Dias assina trilha sonora original, a partir de um poema homônimo de Luciana Paludo [O corpo é]. O espetáculo também conta com a colaboração de João Maldonado para compor, em cena junto com Leonardo, as sonoridades que estabelecem o jogo com os bailarinos criadores.


Dia 29, Dia Internacional da Dança, sábado com atividades das 10 h às 17:30. Entrada franca.

Criado pelo Comitê Internacional de Dança da Unesco, a data homenageia o nascimento do bailarino, professor e ensaísta francês Jean-Georges Noverre (1727 – 1810). Para além da homenagem, a data propõe aos artistas contemporâneos uma profunda reflexão sobre o fazer artístico, valorizando a sua diversidade, realçando as suas especificidades, e reafirmando o entrelaçamento de suas linguagens.


10h até 11:30– Oficina com Jair Felipe Umann e Andrea Spolaor.

Sobre a oficina : Já está se tornando tradicional a parceria da aula compartilhada entre Andrea Spolaor e Jair Umann. Com base em dança contemporânea e popular os professores movimentam mais do que corpos a fim de tornar a comunhão entre seres um movimento.”

12:15 – Mostra Cooperações em Movimento

Ana Medeiros 12:15 na praça Julio Mesquita em frente a Usina com música ao vivo de Duda Cunha com:

Tutu

Concepção coreográfica: Ana Medeiros

Trilha: Duda Cunha

Dançarina: Ana Medeiros

Figurino: Margarida Silva Rache e Vanessa Berg-Estúdio Híbrido

Foto: Jorge Eduardo Diehl

Logo após o final da performance o público será convidado para ir até a Sala 209 na Usina, onde a Mostra Cooperações em Movimento e oficinas gratuitas continuarão ao longo do dia.

12:30 na Sala 209 – Mostra Cooperações em Movimento:·

  Andrew Tassinari

· Alunos do curso de graduação em dança/Projeto de extensão/ licenciatura da UERGS unidade em Montenegro“Reflexos”Estamos no todo, por que estamos em parte? Ou estamos em parte, por que estamos no todo?

O agora de um lugar qualquer, com pessoas comuns. O cotidiano em movimento. O olhar sobre quem e como somos, diante do que nos cerca. ‘Reflexos’, mostra os fragmentos dessa análise em experimentação coreográfica. Que haja reflexão!
Direção: Rita Guerra
Supervisão: Sílvia da Silva Lopes
Intérpretes criadores: Allyson Gomes, Belsane Macedo, Ben-Hur Barros, DathieleSchimitt, Felipe Pyta, Giuliana Rocha, GreiciGarcia, Israel Sullivan, JeniferBerlitz, Jennifer Mór, Karina Rolim, Karen Rodrigues, LizianeSalvadori, Maria Souza, Naiara Banto, Natalia Martins, Renata Willers, Rita Guerra, Rogério Bertoldo, SilvaniaRodrigues
Música: Arnaldo Antunes, ZoeKeating

·  Ânima Cia de Dança/ solo de Hip hop de Flowjack Uantpi

·  Tatiana da Rosa

·  Dança do Ventre – Coreografia Leylat Hob de Fernanda Mansur

Com Amelize Mattos, Bruna Verri, Fernanda Mansur, Kelly Ynoue, Silvana Ferrareli, Victória Quartieri

·  Dança Indiana Bollywood – Coreografia Dhoom Taana de Amelize Mattos

Com Amelize Mattos, Fernanda Mansur, Kelly Ynoue

14:30 até 15:30oficina de Afro Contemporâneo com Roberta Campos com participação do músico Duda Cunha.

Sobre a oficina: Dançar e conscientizar corpo em movimento com referência nas matrizes africanas do Brasil. Estudar o ritmo no corpo e o corpo no ritmo dos tambores.

15:30 até 17:30oficina com Carla VendraminDiversos Corpos Dançantes no térreo da Usina.

E após, Jam Session itinerante até a escadaria do Teatro de Arena na Borges de Medeiros.

https://eduardoseverinociadedanca.wordpress.com

Apoio:

 Eduardo Severino Cia de Dança, TVE e FM cultura, Vineta estúdio, Ânima Cia de Dança, Mimese Cia de Dança Coisa, Diversos Corpos Dançantes, Coletivo de Dança da Sala 209, Lírio Cia de Dança, Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Secretaria Municipal da Cultura, Usina das Artes, Usina do Gasômetro.

 

13° Edição Mostra Movimento e Palavra recebe donativos para Casa dos Artista Riograndense

A organização da Mostra estará recebendo para ajudar a Casa do Artista , donativos como produtos alimentícios e de limpeza ou produtos de higiene pessoal. Necessidades: Azeite/ Café/ molho de tomate /sabonete /pasta de dente/ manteiga / lentilha/açúcar/óleo, etc…


Dia 25 de março

 Mostra Movimento e Palavra às 19h

Quanto: Inteira – R$ 30,00 / Meia – R$ 15,00 (Melhor idade, estudantes, Classe artística)

Coreógrafos:

Eva Schul com AcudadosFoto editada1

Marco Chagas com “23:15”Foto editada2

Marco Fillipin com (DES)PEDAÇOSMarco Fillipin editada

Pamela Ferreira e Lucca Adams Pilla com Bem QuererFoto editada 3


Mediadora/Provocadora

Mediação: Mônica Dantas / Provocadoras: Cibele Sastre e Ana Medeiros


Bate papo com cafezinho às 17h.

Entrada franca

Sherwood Chen (USA/França) irá participar da Mostra Movimento e Palavra falando sobre as fundações/base da sua dança no treinamento de Body Weather e com Anna Halprin. Ele irá compartilhar sua pesquisa artística, PRISIONER’S CINEMA, iniciada durante sua atual residência na Galeria Península em Porto Alegre.


Oficinas:

Valor de cada Oficina: R$ 40,00

Cibele Sastre às 10h

Inscrições:

cibsastre@gmail.com

desequilíbrio
Foto: Luciana Mena Barreto

Ana Medeiros às 13h

Inscrições:

medeirosana@mac.com

foto Ana Medeiros de Ryo Ichii IMG_8659
Foto: Ryo Ichii

Dia 26 de março 

Oficina com Sherwood Chen (USA/França)Foto editada 6

Das 14h às 18h.

Valor: 75 reais
60 reais – com desconto até dia 22/03 ou mediante bolsa de desconto*
* requerimento de bolsa e pagamento com Carla Vendramin através do e-mail: carlavendramin@gmail.com ou pelo facebook.

Onde: Usina do Gasômetro na sala 209, Av. João Goulart, 551


Realização/produção:

Eduardo Severino Cia. de Dança


Apoio:

Ânima Cia de Dança|Café do Mercado|Sated/RS|Usina das Artes|Usina do Gasômetro|Prefeitura de Porto Alegre|Secretaria de Cultura|TVE e Fm cultura|Viñeta Estudio|Coletivo de dança Sala 209

Programação completa Mostra Movimento e Palavra dia 25.03 às 19h

Acuados de Eva SchulFoto editada1

Procura – se em Acuados, retratar o nível de submissão envolvido nas relações violentas, que leva a quebra da personalidade, e da autoestima dos indivíduos.  Personagens se confundem na busca de sensações de inferioridade, e os reflexos destas sensações nos movimentos de uma dança, que propõe que o público acompanhe e sensibilize-se ao vislumbrar, poética e esteticamente, o que não passa de dor e injustiça.

Direção coreográfica – Eva Schul

Criadores/Intérpretes – Bianca Weber, Tom Nunes e Drico Soares

Fotografia – Raquel Basso

Produção – Luka Ibarra


“23:15” de Marco ChagasFoto editada2

Um corpo afro-urbano e porquê não dizer contemporâneo?

“23:15” questiona as diferentes modulações estéticas presentes em um corpo híbrido ao fazer conexões com a rotina urbana de um jovem que agora aposta na narrativa poética e no movimento percussivo simultaneamente.

QUAIS? QUAIS? QUAIS? QUAIS? QUAIS? QUAIS?

Coreógrafo e bailarino-interprete: Marco Chagas

Direção: Luciana Paludo

Fotografia: Felipe Paiz


(DES) PEDAÇOS

Marco Fillipin – Artista da CenaMarco Fillipin editada

Performance que segue na linha da pesquisa do artista Marco Fillipin sobre as impermanências de comportamento das pessoas e suas inter-relações, com seus diferentes humores e sentimentos. Além de explorar os distintos estados humanos a criação transita pela relação direta do artista cênico com o espectador, sendo este, também um agente criador do trabalho.
Marco estará acompanhado da cantora Caren Suzana e o músico Rodrigo Java.
O trabalho tem criação e interpretação de Marco Fillipin, Trilha sonora de Caren Suzana e Rodrigo Java.
Foto: Natália Utz

 Bem querer de Pâmela Ferreira e Lucca Adams PillaFoto editada 3

Bem me quer, mal me quer”, bem querer. Inspirados na pluralidade dos encontros, os bailarinos passeiam no ar em busca de presença, olhar e do seu lugar no outro.

Concepção coreográfica e dança: Pâmela Ferreira e Lucca Adams Pilla

Direção artística: Clarissa Ferrer e Alline Fernandez

Trilha sonora: 5 a seco

Cenografia: Alline Fernandez


Oficinas

Cibele Sastre/dia 25.03  às 10h – investimento – R$ 40,00

e_cadeira02cd
Foto: Gabriel Schmidt

Cibele Sastre é bailarina, atriz e coreógrafa, especialista em Análise de Movimento Laban/Bartenieff pelo LIMS/NY. É professora do Curso de Graduação e Especialização em Dança da UFRGS.

 Sobre oficina: Espaços de ação e inscrição de si: Dança-Educação Somática-Criação

A dança aqui proposta será criada a partir da exploração de movimentos somáticos orientados pelos Fundamentos de Bartenieff – BF®. Inicialmente, uma imersão na percepção de si com exercícios somáticos básicos e algumas ações espaciais disparam a exploração. A improvisação, com base nas explorações realizadas, visa ampliar a percepção de si ao espaço e ao outro, proporcionando espaços de inscrição de si nesta experiencia de criação em dança.


Ana Medeiros/dia 25.03 às 13h – investimento – R$ 40,00

foto Ana Medeiros de Ryo Ichii IMG_8659
Foto: Ryo Ichii

Ana Medeiros é bailarina, professora e coreógrafa de dança contemporânea com formação em dança moderna na Martha Graham School of Contemporary Dance. Viveu por 23 anos em Nova York, onde dançou com Mila Parish and Dancers, Jean Erdman Theater of Dance, Aria Edry, Sandra Kauffman, Isadora’s Dance Legacy e Mary Miller Dance Company. Em 1992, começa a coreografar e apresentar seus trabalhos em espaços como P.S.122, Merce Cunningham Studio, 92 Street Y, Judson Church, e na França, Holanda e Brasil. No final de 2012, retorna a Porto Alegre. Em 2015, viaja ao Japão e desde então completa três temporadas de residência artística estudando Butoh com Yoshito Ohno. Atualmente, ministra o curso Princípios de Butoh na Casa Cultural Tony Petzhold.

Sobre oficina de Butoh

Na aula trabalhamos os princípios de Butoh de Yoshito Ohno, bailarino e filho do mestre Kazuo. Para Ohno, Butoh é dançar a existência e é também encontrar a humanidade naquele que dança, “se revelando como uma flor, como a natureza e seus ciclos”.

No Butoh de Yoshito Ohno se encontra o silêncio e se percebe o corpo criando e trazendo lugares e memórias à tona — se faz muito menos externamente. Os pés encontrando o chão marcam o tempo e trilham histórias milenares, no contato de cada partícula de pele com cada milímetro de solo.


Sherwood Chen, oficina dia 26.03 14hFoto editada 5

A oficina de quatro horas de duração parte das fundações da pesquisa de Body Weather, oferecendo uma progressão de investigações de movimentos incisivos aplicáveis à improvisação, percepção e performance. Trabalharemos com nossos sentidos, e com o sentido de memória e de imagens para trazer uma porosidade incessante entre carne, osso, imaginação e espaço, produzindo corpos impossíveis e / ou recém-descobertos.

Por meio de uma progressão de movimentos através do chão, desafiaremos a consciência cinestésica, motora e sensorial, examinando o limite, a pulsão, a escala e o ritmo.

Durante a segunda parte da oficina, trabalharemos entre parceiros e individualmente para investigar as fronteiras fantasmas do toque, iniciando múltiplos fulcros e acolhendo a desestabilização dos corpos como um fenômeno totalmente em corrupção.

Traga sua curiosidade, seu corpo inquisitivo, e prepare-se para suar! 

Sherwood Chen (USA / FRANÇA) trabalhou como intérprete com artistas renomados como Anna Halprin, Xavier Le Roy, Tanaka Min, inkBoat / Ko Murobushi, Grisha Coleman, Sara Shelton Mann e l’agence touriste. Ele tem ministrado oficinas de movimento internacionalmente, em estúdio e em paisagens naturais e lugares urbanos, como Ménagerie de Verre, Oficina Cultural Oswald de Andrade, Dança Independente / Estúdios Siobahn Davies, Earthdance, Centro Nacional de Artes, Chez Bushwick, ODC, K3 Tanzplan e Estúdios Ufer. Por mais de vinte anos, ele tem contribuído para a investigação de Body Weather iniciada por Min Tanaka e seus associados.

http://sherwoodchen.com/

“O movimento de Sherwood é deslumbrante e lúcido, e sua forma rigorosa de ensino abre um campo imaginativo … seu desenvolvimento em abordar a dança oferece um território rico, desafiando os participantes física e imageticamente, o que induz mudanças sutis e intrincadas que afetam todo o eu do dançarino.”

Margit Galanter, Contato Trimestral Inverno / Primavera de 2016

* Body Weather pode ser traduzido como “Estações do Corpo”, é a pesquisa e o treinamento do movimento iniciados por Min Tanaka (Japão) e por seus contemporâneos que examinam a relação entre o corpo e seu ambiente.

* Esta oficina está dentro da programação da 13° edição da Mostra Movimento e Palavra que acontecerá dias 25 e 26 de março/ apoio: Prefeitura Municipal/Secretaria de Cultura/Usina do Gasômetro/Usina das Artes/Eduardo Severino Cia de Dança e Ânima Cia de Dança.

Investimento:

75 reais

60 reais – com desconto até dia 22/03 ou mediante bolsa de desconto*
* requerimento de bolsa e pagamento com Carla Vendramin através do e-mail carlavendramin@gmail.com ou pelo facebook.

Onde: Usina do Gasômetro na sala 209, Av. João Goulart, 551

Produção – Eduardo Severino Cia. de Dança

Contato: 996892621 – eduardosever@yahoo.com


Realização:

Eduardo Severino Cia. de Dança


Apoio:

Ânima Cia de Dança|Café do Mercado|Sated/RS|Usina das Artes|Usina do Gasômetro|Prefeitura de Porto Alegre|Secretaria de Cultura|TVE e Fm cultura|Viñeta Estudio|Coletivo de dança Sala 209

13° Edição Mostra Movimento e Palavra

A Mostra tem como objetivo a exibição e a discussão sobre as escolhas e os fazeres artísticos em dança. Com a participação de vários coreógrafos da cena porto-alegrense e interior do estado que têm diferentes princípios de criação. Diversos artistas mostrarão suas pesquisas coreográficas em processo ou já finalizadas.

No primeiro semestre do ano de 2007 a Eduardo Severino Cia. de Dança teve a iniciativa de criar e produzir a Mostra Movimento e Palavra, com total aprovação e adesão dos artistas de dança da cidade.

Nesta 13° edição da Mostra contará com várias ações, no dia 25, sábado, duas oficinas; de Cibele Sastre às 10h e de Ana Medeiros às 13h, uma bate papo com cafezinho com o artista Sherwood Chen (USA/França) às 17h que falará sobre seu trabalho e às 19h a mostra de trabalhos que contará com quatro trabalhos de coreógrafos convidados; Eva Schul, Marco Chagas, Pamela Ferreira e Lucca Adams Pilla e Marco Fillipin com bate papo ao final com mediação e provocação das artistas, Mônica Dantas, Ana Medeiros e Cibele Sastre e finalizando a programação/ações da Mostra uma oficina com o artista Sherwood Chen dia 26, domingo das 14h às 18h.

Informações:

https://eduardoseverinociadedanca.wordpress.com


Dia 25 de março

 Mostra Movimento e Palavra às 19h

Quanto: Inteira – R$ 30,00 / Meia – R$ 15,00 (Melhor idade, estudantes, Classe artística)

Coreógrafos:

Eva Schul Foto editada1

Marco Chagas com “23:15”Foto editada2


Marco Fillipin com (DES)PEDAÇOSMarco Fillipin editada


Pamela Ferreira e Lucca Adams Pilla Foto editada 3


Mediadora/Provocadoras

Mediação: Mônica Dantas / Provocadoras: Cibele Sastre e Ana Medeiros


Bate papo com cafezinho às 17h.

Entrada franca

Sherwood Chen (USAFrança) irá participar da Mostra Movimento e Palavra falando sobre as fundações/base da sua dança no treinamento de Body Weather e com Anna Halprin. Ele irá compartilhar sua pesquisa artística, PRISIONER’S CINEMA, iniciada durante sua atual residência na Galeria Península em Porto Alegre.


Oficinas:

Valor de cada Oficina: R$ 40,00

Cibele Sastre às 10h

desequilíbrio
Foto: Luciana Mena Barreto

Ana Medeiros às 13h

foto Ana Medeiros de Ryo Ichii IMG_8659
Foto: Ryo Ichii

Dia 26 de março 

Oficina com Sherwood Chen (USA/França)Foto editada 6

Das 14h às 18h.

Valor: 75 reais
60 reais – com desconto até dia 22/03 ou mediante bolsa de desconto*
* requerimento de bolsa e pagamento com Carla Vendramin através do e-mail: carlavendramin@gmail.com ou pelo facebook.

Onde: Usina do Gasômetro na sala 209, Av. João Goulart, 551


Realização/produção:

Eduardo Severino Cia. de Dança


Apoio:

Ânima Cia de Dança|Café do Mercado|Sated/RS|Usina das Artes|Usina do Gasômetro|Prefeitura de Porto Alegre|Secretaria de Cultura|TVE e Fm cultura|Viñeta Estudio|Coletivo de dança Sala 209


Respiração fluxo do corpo, alongamento

A respiração é peça chave para alinhar e alongar a musculatura corporal, deixando-se levar pelo peso da gravidade. Nesta oficina se busca o bem estar do corpo e da mente, onde se procura respeitar os limites do corpo de cada um.

Ela é aberta a todas as pessoas que estejam disponíveis para experimentar o peso do próprio corpo, agindo sobre as articulações.

flayer-oficina

Quando: dias 7, 8 e 9 de fevereiro das 10h às 12h
Onde: sala 209, Usina do Gasômetro
Investimento: R$ 150,00

Inscrições no local, através do e-mail ou por inbox da página do Facebook:

lucian.tavares@gmail.com

https://www.facebook.com/events/235014223619452/?active_tab=about

Corpo Exposto | Mundo Dilatado – Espetáculo

Trata-se de uma pesquisa coreográfica marcada pela escuta do corpo e pela permissão ao tempo das coisas. Como deixar a carne exposta? Como dilatar a percepção e observar o mundo sem pretensão?alexandra-castilhos

A apresentação é resultado da residência artística oportunizada pelo Coletivo de dança da Sala 209 da Usina do Gasômetro. E integra a pesquisa de Mestrado em Artes Cênicas (PPGAC/UFRGS) de Alexandra Castilhos. Ao qual explora a produção de material coreográfico a partir de práticas somáticas, improvisações e exercícios performáticos.

Promoção: Singulativo Artístico.
Apoio: Eduardo Severino Cia de Dança, Usina das Artes, Usina do Gasômetro, Prefeitura de Porto Alegre, Secretaria Municipal de Cultura e Ânima Cia de Dança.

http://singulativoartistico.wixsite.com/singulativoartistico/corpoexpostomundodilatado

Serviço:
Quando: 11 e 12 de novembro
Horário: 20hs
Local: Sala 209 da Usina do Gasometro
Ingresso: R$ 20,00 – Inteira e R$ 10,00 – meia (classe artística, estudantes e idosos)

Ficha Técnica:
Concepção coreográfica: Alexandra Castilhos
Performers: Alexandra Castilhos, Fernanda Sturmer e Samira Abdalah
Trilha sonora: Bob Valente
Figurino: Taize Santos
Fotografia: Rubivar Fontoura

Videos Franceses / FrancedanseBrasil / 2016 na Sala 209

franse-danse-brasil2016

Dentro do Festival FrancedanseBrasil 2016 em parceria com Coletivo de Dança da Sala 209, Ufrgs/dança e Aliança Francesa/Porto Alegre será mostrado vídeos de Christian Rizzo – Éclats – 2014 com 60 min de duração no dia 9 de novembro e de Maguy Marin – Return sur Umwelt – 2006 com 50 minutos de duração no dia 16 de novembro.

Dia 9 – Christian Rizzo – Éclats / 2014 – 20h
Dia 16 – Maguy Marin – Return sur Umwelt / 2006 – 20h
Sala 209/Usina do Gasômetro.
Entrada franca.

Uma realização de CND – Centre National de la danse / Institut Français / France Danse Brasil – 2016 e AF Aliança Farncesa de Porto Alegre com apoio/parceria de Eduardo Severino Cia de Dança / Ufrgs/dança / Ânima Cia de Dança / Usina das Artes / Secretaria Municipal de Cultura.