Eduardo Severino Cia de Dança apresenta :: 17 anos de companhia

Em comemoração aos 17 anos da Eduardo Severino Cia. de Dança apresentaremos no final de semana dos dias 11 e 12 de novembro de 2017 no Teatro Bruno Kiefer da Casa de Cultura Mario Quintana três trabalhos do repertório da Cia. com debate  e confraternização.

A Cia tem uma produção ativa de forma ininterrupta há 17 anos.1509801911595blob

  • O trabalho TEMPOSTEPEGOQUEDELÍCIA estreou em 2012 e foi apresentado no mesmo ano no Fidet/Santiago/Chile, Teatro Sérgio Cardoso/São Paulo e Sesc Santo Amaro/Projeto Modos de Existir/São Paulo. Prêmio Funarte Klauss Vianna 2012 para circulação pelo Brasil em 2013 com o projeto “Circulação em Dois Atos” com as obras Bundaflor, Bundamor e Tempostepegoquedelícia.Quatro indicações ao Prêmio Açorianos de Dança da Secretaria Munícipal de Cultura de Porto Alegre/2012 para Tempostepegoquedelícia.
  • O trabalho Bundaflor, Bundamor estreou em 2008 e foi apresentado no FIDET/Santiago do Chile/2011, circulou pelo Brasil além de ser apresentado na cidade do México no CICO, Centro de investigação Coreográfica da Cidade do México.
  •  O trabalho IN/Compatível? teve estréia em 2005 e uma remontagem em 2016, circulou por várias cidades do estado, Belo Horizonte e Rosário/Argentina em Festival Internacional EL Cruce. A Cia circulou com outros trabalhos da Cia. como Planetário, Lixo, Lixo Severino, Manchas Urbanas, Ato Bruto, A Mão Mansa do Afeto e tantos outros, foram 15 trabalhos nesta trajetória por Barcelona/Espanha, Montevideu/Uruguai, Carolina do Norte/USA, interior do Estado e pelo Brasil. Próximo trabalho com estréia para 2018, BEIJO, com financiamento de FUMPROARTE (se pagarem e se o financiamento ainda existir) .

No dia 11 de novembro apresentaremos os trabalhos TEMPOSTEPEGOQUEDELÍCIA e Bundaflor Bundamor com debate após o espetáculo com os artistas Luciana Paludo e Bia Diamante e Fernando Seffner.

No dia 12 de novembro apresentaremos o trabalho IN/Compatível? e após confraternização dos 17 anos.


Serviço:

Onde: Teatro Bruno Kiefer/Casa de Cultura Mario Quintana, Rua dos Andradas, N° 736, 6° andar.

Quando: Dias 11 e 12 de novembro de 2017, sábado e domingo.

O que:

Dia 11 – TEMPOSTEPEGOQUEDELÍCIA e Bundaflor, Bundamor + debate com Fernando Seffner, Luciana Paludo e Bia Diamante + elenco.

Dia 12 – IN/compatível? + confraternização.

Horário: 19h

Quanto:

Inteira: R$ 30,00 e meia R$ 15,00 (estudantes, idosos e classe artística)

Impróprio para menores de 14 anos 


Tempostepegoquedelícia

Trabalho que se desenvolve a partir de questões de gênero e sexualidade, Tempostepegoquedelícia se propõe a borrar as encarnações do feminino e do masculino, misturando marcadores de gênero e levando à cena sexualidades provisórias. Vestes hieráticas, erotismo, homens em tubinho e decote sexy, coletes de pele, cueca e calcinha vermelhas e corpos nus interrogam, com humor a falocracia, que marca as relações interpessoais na cultura brasileira, e que acaba encontrando reflexo na nossa arte.  O trabalho quer oferecer ao espectador a oportunidade de desfrutar da ambiguidade da carne, sem receio de ser pego em flagrante delito de voyeurismo.

Ficha técnica:

Concepção e coreografia – Eduardo Severino

Direção Cênica – Élcio Rossini e Eduardo Severino

Criadores Intérpretes – Luciano Tavares e Mônica Dantas

Elementos Cênicos – Élcio Rossini

Pesquisa musical – Luciano Tavares

Iluminação/operação – Luka Ibarra

Operação de som – Driko Oliveira

Mixagem – Jorge Foques

Fotografia – Laércio Sulczinski/Walter Fagundes

Arte gráfica – Adri Sanmartin/ Licia Arosteguy

Vídeo registro – Luciana Paludo/Filipe Severo

Realização – Eduardo Severino Cia de Dança

Produção – Lucida Desenvolvimento Cultural – Bendita Cultura

Blog – Criação/postagem – Luciano Tavares


Bundaflor, Bundamor

Bundaflor, Bundamor, o trabalho discorre sobre a Bunda. Inspirada em obra do historiador francês Jean Luc Henning, “A breve história das nádegas”, Bundaflor, Bundamor propõe outros olhares para essa parte do corpo humano, atentando para a sua constituição, desenho e  possibilidades motoras. Aproveita ainda, do contexto em que se vive, para abordar a bunda brasileira, formada graças à herança genética africana, como  massa carnal rebolante que mostra a nossa alegria mestiça.

 Ficha técnica:

Concepção coreográfica – Eduardo Severino e Luciano Tavares.

Intérpretes/criadores – Luciano Tavares, Eduardo Severino, Andrew Tassinari, Junior Alceu Grandi e Mônica Dantas com participação de Carla Vendramin e Iria Barcelos.

Trilha musical – “Não me diga adeus”/Aracy de Almeida; “Melô de piripiri”/Gretchen.

Pesquisa musical – Luciano Tavares

Mixagem – Jorge Foques

Operações – Luka Ibarra e Driko Oliveira

Figurino – Elenco

Arte Gráfica – Licia Arosteguy

Iluminação/operação – Luka Ibarra

Operação de som – Driko Oliveira

Fotos – Inês Corrêa

Vídeo Registro – Filipe Severo

Realização – Eduardo Severino Cia de Dança

Produção – Lucida Desenvolvimento Cultural – Bendita Cultura

Blog – Criação/postagem – Luciano Tavares


 Debate:

Com as artistas Luciana Paludo e Bia Diamante e o pesquisador Fernando Seffner e mais o elenco, sobre as andanças da Cia nestes 17 anos e a relação da Cia. nestes três trabalhos apresentados sobre sexualidade e gênero.


IN/Compatível?

O trabalho retrata de maneira bem humorada e com muita ironia a robotização da união entre quatro personagens através de uma linguagem contemporânea, com quatro personagens que se entrelaçam em seus sentimentos. Em cena, os quatro intérpretes negociam seus sentimentos atrás de uma escrivaninha que também é cama, que também é chão, os seres negociadores do amor trajam um figurino pop que sugere um mundo mecanicista com relações vazias e distantes, onde os corpos ficam evidenciados no intuito de questionar o culto ao corpo existente em nossa sociedade, o mecanicismo de nossas relações e a robotização de nossos comportamentos cotidianos na contemporaneidade.

A abundância de imagens e sensações sugeridas pelo cotidiano e a aridez e artificialidade nas relações humanas foi o ponto de partida para a pesquisa coreográfica e para a remontagem/recriação desta obra.

Ficha técnica:

Concepção Coreográfica: Eduardo Severino e Luciano Tavares | Criadores/Intérpretes: Andrew Tassinari, Viviane Gawazee, Luciano Tavares e Eduardo Severino | Idéia de elementos cênicos: Luciano Tavares e Eduardo Severino | Consultoria de Figurino: Luciane Castro | Figurino: elenco | Consultoria Estética Óptica: Luís Henrique | Trilha Sonora pesquisada por Luciano Tavares: Evelyn Glennie, Operation Phoenix, John Hanks/Indigo , Candeia | Operação de som: Driko Oliveira | Desenho de Luz: Luka Ibarra | Projeto Gráfico: Adriana Sanmartin | Fotografia: Claudio Etges, Natalia Utz | WebDesign: Luciano Tavares | Mixagem/imagens spot/Vt: Jorge Foques| Mixagem trilha: Driko Oliveira/Jorge Foques | Registro audiovisual: João Gabriel de Queiros | Produção: Lucida Desenvolvimento Cultural – Bendita Cultura | Divulgação: Eduardo Severino Cia de Dança.


 Realização: Eduardo Severino Cia de Dança

 Produção: Lucida Desenvolvimento Cultural


 Apoio:

Governo do Estado / Casa de Cultura Mario Quintana/ Associação dos amigos da CCMQ / IEACEN / Usina das Artes / Secretaria Municipal de Cultura / Hashi Art Cuisine/ Regional Cervejas Artesanais / Adolfo Lona vinhos e espumantes/ Mesa Produtora/Café do Mercado / Bistro da Travessa / Charlie Brownie / VINETA / TVE e FM Cultura / Rincão da Saúde / Bendita Cultura / Lucida Desenvolvimento Cultural / Sustain / Harem Dança do Ventre.

Anúncios

Programação completa Mostra Movimento e Palavra dia 25.03 às 19h

Acuados de Eva SchulFoto editada1

Procura – se em Acuados, retratar o nível de submissão envolvido nas relações violentas, que leva a quebra da personalidade, e da autoestima dos indivíduos.  Personagens se confundem na busca de sensações de inferioridade, e os reflexos destas sensações nos movimentos de uma dança, que propõe que o público acompanhe e sensibilize-se ao vislumbrar, poética e esteticamente, o que não passa de dor e injustiça.

Direção coreográfica – Eva Schul

Criadores/Intérpretes – Bianca Weber, Tom Nunes e Drico Soares

Fotografia – Raquel Basso

Produção – Luka Ibarra


“23:15” de Marco ChagasFoto editada2

Um corpo afro-urbano e porquê não dizer contemporâneo?

“23:15” questiona as diferentes modulações estéticas presentes em um corpo híbrido ao fazer conexões com a rotina urbana de um jovem que agora aposta na narrativa poética e no movimento percussivo simultaneamente.

QUAIS? QUAIS? QUAIS? QUAIS? QUAIS? QUAIS?

Coreógrafo e bailarino-interprete: Marco Chagas

Direção: Luciana Paludo

Fotografia: Felipe Paiz


(DES) PEDAÇOS

Marco Fillipin – Artista da CenaMarco Fillipin editada

Performance que segue na linha da pesquisa do artista Marco Fillipin sobre as impermanências de comportamento das pessoas e suas inter-relações, com seus diferentes humores e sentimentos. Além de explorar os distintos estados humanos a criação transita pela relação direta do artista cênico com o espectador, sendo este, também um agente criador do trabalho.
Marco estará acompanhado da cantora Caren Suzana e o músico Rodrigo Java.
O trabalho tem criação e interpretação de Marco Fillipin, Trilha sonora de Caren Suzana e Rodrigo Java.
Foto: Natália Utz

 Bem querer de Pâmela Ferreira e Lucca Adams PillaFoto editada 3

Bem me quer, mal me quer”, bem querer. Inspirados na pluralidade dos encontros, os bailarinos passeiam no ar em busca de presença, olhar e do seu lugar no outro.

Concepção coreográfica e dança: Pâmela Ferreira e Lucca Adams Pilla

Direção artística: Clarissa Ferrer e Alline Fernandez

Trilha sonora: 5 a seco

Cenografia: Alline Fernandez


Oficinas

Cibele Sastre/dia 25.03  às 10h – investimento – R$ 40,00

e_cadeira02cd
Foto: Gabriel Schmidt

Cibele Sastre é bailarina, atriz e coreógrafa, especialista em Análise de Movimento Laban/Bartenieff pelo LIMS/NY. É professora do Curso de Graduação e Especialização em Dança da UFRGS.

 Sobre oficina: Espaços de ação e inscrição de si: Dança-Educação Somática-Criação

A dança aqui proposta será criada a partir da exploração de movimentos somáticos orientados pelos Fundamentos de Bartenieff – BF®. Inicialmente, uma imersão na percepção de si com exercícios somáticos básicos e algumas ações espaciais disparam a exploração. A improvisação, com base nas explorações realizadas, visa ampliar a percepção de si ao espaço e ao outro, proporcionando espaços de inscrição de si nesta experiencia de criação em dança.


Ana Medeiros/dia 25.03 às 13h – investimento – R$ 40,00

foto Ana Medeiros de Ryo Ichii IMG_8659
Foto: Ryo Ichii

Ana Medeiros é bailarina, professora e coreógrafa de dança contemporânea com formação em dança moderna na Martha Graham School of Contemporary Dance. Viveu por 23 anos em Nova York, onde dançou com Mila Parish and Dancers, Jean Erdman Theater of Dance, Aria Edry, Sandra Kauffman, Isadora’s Dance Legacy e Mary Miller Dance Company. Em 1992, começa a coreografar e apresentar seus trabalhos em espaços como P.S.122, Merce Cunningham Studio, 92 Street Y, Judson Church, e na França, Holanda e Brasil. No final de 2012, retorna a Porto Alegre. Em 2015, viaja ao Japão e desde então completa três temporadas de residência artística estudando Butoh com Yoshito Ohno. Atualmente, ministra o curso Princípios de Butoh na Casa Cultural Tony Petzhold.

Sobre oficina de Butoh

Na aula trabalhamos os princípios de Butoh de Yoshito Ohno, bailarino e filho do mestre Kazuo. Para Ohno, Butoh é dançar a existência e é também encontrar a humanidade naquele que dança, “se revelando como uma flor, como a natureza e seus ciclos”.

No Butoh de Yoshito Ohno se encontra o silêncio e se percebe o corpo criando e trazendo lugares e memórias à tona — se faz muito menos externamente. Os pés encontrando o chão marcam o tempo e trilham histórias milenares, no contato de cada partícula de pele com cada milímetro de solo.


Sherwood Chen, oficina dia 26.03 14hFoto editada 5

A oficina de quatro horas de duração parte das fundações da pesquisa de Body Weather, oferecendo uma progressão de investigações de movimentos incisivos aplicáveis à improvisação, percepção e performance. Trabalharemos com nossos sentidos, e com o sentido de memória e de imagens para trazer uma porosidade incessante entre carne, osso, imaginação e espaço, produzindo corpos impossíveis e / ou recém-descobertos.

Por meio de uma progressão de movimentos através do chão, desafiaremos a consciência cinestésica, motora e sensorial, examinando o limite, a pulsão, a escala e o ritmo.

Durante a segunda parte da oficina, trabalharemos entre parceiros e individualmente para investigar as fronteiras fantasmas do toque, iniciando múltiplos fulcros e acolhendo a desestabilização dos corpos como um fenômeno totalmente em corrupção.

Traga sua curiosidade, seu corpo inquisitivo, e prepare-se para suar! 

Sherwood Chen (USA / FRANÇA) trabalhou como intérprete com artistas renomados como Anna Halprin, Xavier Le Roy, Tanaka Min, inkBoat / Ko Murobushi, Grisha Coleman, Sara Shelton Mann e l’agence touriste. Ele tem ministrado oficinas de movimento internacionalmente, em estúdio e em paisagens naturais e lugares urbanos, como Ménagerie de Verre, Oficina Cultural Oswald de Andrade, Dança Independente / Estúdios Siobahn Davies, Earthdance, Centro Nacional de Artes, Chez Bushwick, ODC, K3 Tanzplan e Estúdios Ufer. Por mais de vinte anos, ele tem contribuído para a investigação de Body Weather iniciada por Min Tanaka e seus associados.

http://sherwoodchen.com/

“O movimento de Sherwood é deslumbrante e lúcido, e sua forma rigorosa de ensino abre um campo imaginativo … seu desenvolvimento em abordar a dança oferece um território rico, desafiando os participantes física e imageticamente, o que induz mudanças sutis e intrincadas que afetam todo o eu do dançarino.”

Margit Galanter, Contato Trimestral Inverno / Primavera de 2016

* Body Weather pode ser traduzido como “Estações do Corpo”, é a pesquisa e o treinamento do movimento iniciados por Min Tanaka (Japão) e por seus contemporâneos que examinam a relação entre o corpo e seu ambiente.

* Esta oficina está dentro da programação da 13° edição da Mostra Movimento e Palavra que acontecerá dias 25 e 26 de março/ apoio: Prefeitura Municipal/Secretaria de Cultura/Usina do Gasômetro/Usina das Artes/Eduardo Severino Cia de Dança e Ânima Cia de Dança.

Investimento:

75 reais

60 reais – com desconto até dia 22/03 ou mediante bolsa de desconto*
* requerimento de bolsa e pagamento com Carla Vendramin através do e-mail carlavendramin@gmail.com ou pelo facebook.

Onde: Usina do Gasômetro na sala 209, Av. João Goulart, 551

Produção – Eduardo Severino Cia. de Dança

Contato: 996892621 – eduardosever@yahoo.com


Realização:

Eduardo Severino Cia. de Dança


Apoio:

Ânima Cia de Dança|Café do Mercado|Sated/RS|Usina das Artes|Usina do Gasômetro|Prefeitura de Porto Alegre|Secretaria de Cultura|TVE e Fm cultura|Viñeta Estudio|Coletivo de dança Sala 209

13° Edição Mostra Movimento e Palavra

A Mostra tem como objetivo a exibição e a discussão sobre as escolhas e os fazeres artísticos em dança. Com a participação de vários coreógrafos da cena porto-alegrense e interior do estado que têm diferentes princípios de criação. Diversos artistas mostrarão suas pesquisas coreográficas em processo ou já finalizadas.

No primeiro semestre do ano de 2007 a Eduardo Severino Cia. de Dança teve a iniciativa de criar e produzir a Mostra Movimento e Palavra, com total aprovação e adesão dos artistas de dança da cidade.

Nesta 13° edição da Mostra contará com várias ações, no dia 25, sábado, duas oficinas; de Cibele Sastre às 10h e de Ana Medeiros às 13h, uma bate papo com cafezinho com o artista Sherwood Chen (USA/França) às 17h que falará sobre seu trabalho e às 19h a mostra de trabalhos que contará com quatro trabalhos de coreógrafos convidados; Eva Schul, Marco Chagas, Pamela Ferreira e Lucca Adams Pilla e Marco Fillipin com bate papo ao final com mediação e provocação das artistas, Mônica Dantas, Ana Medeiros e Cibele Sastre e finalizando a programação/ações da Mostra uma oficina com o artista Sherwood Chen dia 26, domingo das 14h às 18h.

Informações:

https://eduardoseverinociadedanca.wordpress.com


Dia 25 de março

 Mostra Movimento e Palavra às 19h

Quanto: Inteira – R$ 30,00 / Meia – R$ 15,00 (Melhor idade, estudantes, Classe artística)

Coreógrafos:

Eva Schul Foto editada1

Marco Chagas com “23:15”Foto editada2


Marco Fillipin com (DES)PEDAÇOSMarco Fillipin editada


Pamela Ferreira e Lucca Adams Pilla Foto editada 3


Mediadora/Provocadoras

Mediação: Mônica Dantas / Provocadoras: Cibele Sastre e Ana Medeiros


Bate papo com cafezinho às 17h.

Entrada franca

Sherwood Chen (USAFrança) irá participar da Mostra Movimento e Palavra falando sobre as fundações/base da sua dança no treinamento de Body Weather e com Anna Halprin. Ele irá compartilhar sua pesquisa artística, PRISIONER’S CINEMA, iniciada durante sua atual residência na Galeria Península em Porto Alegre.


Oficinas:

Valor de cada Oficina: R$ 40,00

Cibele Sastre às 10h

desequilíbrio
Foto: Luciana Mena Barreto

Ana Medeiros às 13h

foto Ana Medeiros de Ryo Ichii IMG_8659
Foto: Ryo Ichii

Dia 26 de março 

Oficina com Sherwood Chen (USA/França)Foto editada 6

Das 14h às 18h.

Valor: 75 reais
60 reais – com desconto até dia 22/03 ou mediante bolsa de desconto*
* requerimento de bolsa e pagamento com Carla Vendramin através do e-mail: carlavendramin@gmail.com ou pelo facebook.

Onde: Usina do Gasômetro na sala 209, Av. João Goulart, 551


Realização/produção:

Eduardo Severino Cia. de Dança


Apoio:

Ânima Cia de Dança|Café do Mercado|Sated/RS|Usina das Artes|Usina do Gasômetro|Prefeitura de Porto Alegre|Secretaria de Cultura|TVE e Fm cultura|Viñeta Estudio|Coletivo de dança Sala 209


Respiração fluxo do corpo, alongamento

A respiração é peça chave para alinhar e alongar a musculatura corporal, deixando-se levar pelo peso da gravidade. Nesta oficina se busca o bem estar do corpo e da mente, onde se procura respeitar os limites do corpo de cada um.

Ela é aberta a todas as pessoas que estejam disponíveis para experimentar o peso do próprio corpo, agindo sobre as articulações.

flayer-oficina

Quando: dias 7, 8 e 9 de fevereiro das 10h às 12h
Onde: sala 209, Usina do Gasômetro
Investimento: R$ 150,00

Inscrições no local, através do e-mail ou por inbox da página do Facebook:

lucian.tavares@gmail.com

https://www.facebook.com/events/235014223619452/?active_tab=about

Videos Franceses / FrancedanseBrasil / 2016 na Sala 209

franse-danse-brasil2016

Dentro do Festival FrancedanseBrasil 2016 em parceria com Coletivo de Dança da Sala 209, Ufrgs/dança e Aliança Francesa/Porto Alegre será mostrado vídeos de Christian Rizzo – Éclats – 2014 com 60 min de duração no dia 9 de novembro e de Maguy Marin – Return sur Umwelt – 2006 com 50 minutos de duração no dia 16 de novembro.

Dia 9 – Christian Rizzo – Éclats / 2014 – 20h
Dia 16 – Maguy Marin – Return sur Umwelt / 2006 – 20h
Sala 209/Usina do Gasômetro.
Entrada franca.

Uma realização de CND – Centre National de la danse / Institut Français / France Danse Brasil – 2016 e AF Aliança Farncesa de Porto Alegre com apoio/parceria de Eduardo Severino Cia de Dança / Ufrgs/dança / Ânima Cia de Dança / Usina das Artes / Secretaria Municipal de Cultura.

5ª Edição do projeto Luciana Paludo convida… Com Elke Siedler

Sábado que vem, 27/08, tem a 😀
Será na Sala 209 às 19:30!

Espaço on/off_Line é o título do espetáculo que será apresentado; se inspira nas relações humanas: online, com os dispositivos de comunicação à distância; offline, a partir das possibilidades de encontros presenciais. É a partir dessas duas espécies de encontros que se constitui a poética deste espetáculo.

13934686_10208466236785980_4083107030369412138_n

Espaço on/off_Line trata dessa mescla de possibilidades de encontros que tecem as relações contemporâneas – e de como isso pode expandir, ou não, os desdobramentos desses encontros. As coisas em si não comportam destinos, é o uso que fazemos delas que tornam possíveis os acontecimentos.


Ficha Técnica:
Concepção coreográfica e dança: Luciana Paludo e Elke Siedler
Produção: Mimese cia de dança-coisa
Apoio de produção: Adrielle Paulino, Ana Paula Reis e Eduardo Severino.
Fotógrafo do projeto: Cláudio Etges


Ingressos no local: R$ 20,00 / R$ 10,00 (estudante, classe artística e idosos)
Apoio: Eduardo Severino Cia de Dança; Ânima Cia de Dança; Projeto Usina das Artes – Secretaria Municipal de Cultura.
Realização: Mimese cia de dança-coisa.

Eduardo Severino Cia de Dança apresenta Espetáculo IN/Compatível?

 IN/Compatível? Teve estreia no ano de 2005 e agora em comemoração aos 15 anos de Cia. com uma produção ativa de forma ininterrupta resolvemos remontar este trabalho que é um dos mais emblemáticos de nossa trajetória,  além do núcleo artístico principal da Cia. Luciano Tavares e Eduardo Severino fazem parte desta remontagem os criadores/intérpretes Andrew Tassinari e Viviane Gawazee.

13255947_700726473398812_6307684072075973096_n
Foto: Luis Paulot

O trabalho retrata de maneira bem-humorada e com muita ironia a robotização da união entre quatro personagens através de uma linguagem contemporânea, com quatro personagens que se entrelaçam em seus sentimentos. Em cena, os quatro intérpretes negociam seus sentimentos atrás de uma escrivaninha que também é cama, que também é chão, os seres negociadores do amor trajam um figurino pop que sugere um mundo mecanicista com relações vazias e distantes, onde os corpos ficam evidenciados no intuito de questionar o culto ao corpo existente em nossa sociedade, o mecanicismo de nossas relações e a robotização de nossos comportamentos cotidianos.

13256048_700726960065430_9026929260122285029_n
Foto: Luis Paulot

A abundância de imagens e sensações sugeridas pelo cotidiano e a aridez e artificialidade nas relações humanas foi o ponto de partida para a pesquisa coreográfica e para a remontagem/recriação desta obra.

13267846_700726593398800_5314279508831134185_n
Foto: Luis Paulot

 Trajetória

O espetáculo atual em sua recriação e remontagem estréia em maio de 2016, na Sala 209/Usina das Artes. O espetáculo na sua versão original teve estréia em 4 de junho de 2005, cumprindo temporada nos meses de junho, julho e outubro na sala 504 do eixo experimental na Usina do Gasômetro/Usina das Artes.
Um estudo e fragmento da obra tiveram pré-estréia na Mostra Dies de Dansa em Barcelona/Espanha em agosto/2004 e no encerramento do Arte no Solar da Assembléia Legislativa do Estado em Porto Alegre e novembro/2004. O Espetáculo também foi mostrado: Abril/Dia Internacional da Dança-Salão de Atos da UFRGS/Porto Alegre/2005; Agosto/Conesul Dança 2005 – Teatro São Pedro/Porto Alegre; Agosto/Temporada no Teatro Sete de Abril/Pelotas/2005; Janeiro/Mostra Verão-Teatro Renascença/Porto Alegre/2006; Janeiro/Melhores do ano- Prêmio Açorianos 2005- Teatro Renascença/Porto Alegre/2006 e El Cruce Festival de Artes Cênicas em Rosário/ Argentina/2006 e participação no FIDET/Escena doméstica/Santiago/Chile/2011 e um fragmento desta nova recriação com os quatro criadores/intérpretes participou do Festival Dançapontocom/2015. A obra teve seis indicações ao Prêmio Açorianos de Dança da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre/2005, sendo indicado para: Melhor espetáculo, coreografia, produção, bailarino, figurino e trilha musical pesquisada
, recebendo o Prêmio por melhor coreografia, bailarino e trilha musical pesquisada.

13263728_700727160065410_1556344341753823881_n
Foto: Luis Paulot

Ficha técnica

 Concepção Coreográfica: Eduardo Severino e Luciano Tavares | Criadores/Intérpretes: Andrew Tassinari, Viviane Gawazee, Luciano Tavares e Eduardo Severino | Idéia de elementos cênicos: Luciano Tavares e Eduardo Severino | Consultoria de Figurino: Luciane Castro | Figurino: elenco | Consultoria Estética Óptica: Luís Henrique | Trilha Sonora pesquisada por Luciano Tavares: Evelyn Glennie, Operation Phoenix, John Hanks/Indigo , Candeia | Desenho de Luz: Luka Ibarra/Kyrie  Lucas Isnardi | Projeto Gráfico: Adriana Sanmartin | Fotografia: Natalia Utz | WebDesign: Luciano Tavares l Mixagem: Driko Oliveira/Jorge Foques | Registro audiovisual: João Gabriel de Queiros | Realização: Eduardo Severino Cia de Dança.

13315735_700726963398763_3715769414046077416_n
Foto: Luis Paulot

Serviço:

Dias 13 e 14 de agosto, sábado e domingo

Às 19h

Onde – Sala 209 / Usina do Gasômetro / Porto Alegre.

Quanto – Inteira – R$ 30,00 / Meia – R$ 15,00(classe artística, idosos e estudantes)

Informações: https://eduardoseverinociadedanca.wordpress.com

Realização: Eduardo Severino Cia de Dança.

Apoio/colaboradores: Sustain Produções/ TVE e FM cultura/ Usina do Gasômetro/ Usina das Artes/ Secretaria Municipal de Cultura/Prefeitura Municipal de Porto Alegre/ Ânima Cia de Dança/ Rincão da Saúde/ Hashi Art Cuisine/ Vineta Estúdio/ Lucida Desenvolvimento Cultural/Conectedance.

 

 

 

 

O corpo é.

Quarta edição do Projeto “Luciana Paludo convida…” acontecerá no dia 16 de julho de 2016, 19h, na Sala 209 da Usina do Gasômetro. O bailarino e coreógrafo Eduardo Severino é o convidado.


O corpo é” parte de um conceito que já guiou um espetáculo do Mimese cia de dança coisa, em 2003. ‘O que você pensa a respeito do corpo?’ era a pergunta chave de 2003. Em 2016, com Eduardo Severino, essa pergunta se redimensiona.

O que inspira Luciana e Eduardo para esta edição é justamente esta ‘matéria bruta’ que é o corpo.

O trabalho para tornar o corpo sensível – para que essa ‘matéria’ resulte em possibilidades, de modo que possa formar uma obra em dança. 

Os artistas têm carreira consolidada como intérpretes e criadores. Em comum, o trabalho diário para manutenção do que julgam necessário para ser-estar em suas danças; também o trabalho em cooperação com outros artistas. Para além do gosto de estabelecer trocas e parcerias para a criação, acreditam que o trabalho colaborativo seja uma das estratégias de sobrevivência na arte.

CRW_0763
Foto: Cláudio Etges

Para esta edição, Leonardo Dias assina trilha sonora original, a partir de um poema homônimo de Luciana Paludo [O corpo é]. Também, teremos “o convidado do convidado”: Eduardo Severino convidou o músico João C. Maldonado para colaborar com a cena do espetáculo.

Serviço:

“O corpo é”

Sala 209/Usina do Gasômetro

Dia 16 de julho/sábado

Às 19h

Ingressos – Inteira – R$ 20,00 e meia – R$ 10,00(classe artística, estudantes e idosos)

http://lupaludomimese.blogspot.com.br/2016/07/o-corpo-e.html

CRW_0820_1
Foto: Cláudio Etges

Sobre o Projeto Luciana Paludo convida:

O projeto estreou em 20 de março de 2016, tendo como convidado o bailarino Airton Rodrigues; em 30 de abril, com o bailarino Douglas Jung, foi realizada a segunda edição, ambas na Sala 209 da Usina do Gasômetro. A terceira edição aconteceu em 29 de maio, com o bailarino Diego Mac, que dividiu a cena com Luciana na Casa Frasca – Espaço Cultural situado na Av. Independência, 426.  Para a quarta edição o projeto retorna à Sala 209, tendo como convidado o bailarino Eduardo Severino, para encerrar a programação do primeiro semestre.

 O objetivo é que em cada edição esteja em jogo diferentes linguagens autorais que, ao entrarem em relação na mesma cena, encontrem modos de se (re)significarem; justamente pelas influências que o trabalho em colaboração pode exercer na criação em dança.

O projeto é alimentado pela pergunta-movimento “o que move meu corpo até ele chegar à cena?”. Então, os artistas inventam seus movimentos-resposta, a partir da cooperação no trabalho de criação.

A metodologia de trabalho se realiza no seguinte sentido: no mês do espetáculo, os próprios artistas definem as maneiras de se encontrar para realizar a criação; isso faz parte da proposta e do projeto.

Para o segundo semestre de 2016, estão previstas apresentações com Elke Siedler (agosto), Carla Vendramin (setembro), Thais Petzhold (outubro). Mais dois artistas serão convidados durante o ano, para as edições de novembro e dezembro.

CRW_0808
Foto: Cláudio Etges

Ficha Técnica:

Concepção coreográfica e dança: Luciana Paludo e Eduardo Severino

Trilha sonora: Leonardo Dias e João Maldonado

Concepção de Luz: Kyrie Isnardi e Ricardo Simões

Operação de Luz: Ricardo Simões

Produção: Ana Paula Reis e Mimese cia de dança-coisa

Assistente de produção: Adrielle Paulino

Fotos de divulgação desta edição: Luiz André Cancian

Fotógrafo do projeto: Cláudio Etges


Apoio: Mimese Cia de Dança Coisa, Eduardo Severino Cia de Dança, Usina das Artes, Usina do Gasômetro, Prefeitura de Porto Alegre, Secretaria Municipal de Cultura e Ânima Cia de Dança.

7º PROJETO DE RESIDÊNCIA ARTÍSTICA NA SALA 209

O projeto de residência Artística da Sala 209 visa dar espaço para o desenvolvimento de processos artísticos em dança de artistas da cidade de Porto Alegre. Todos anos abrimos inscrições para artistas interessados. Um grupo de artistas do coletivo de artistas da Sala 209 selecionam uma proposta para ser desenvolvida a cada semestre, uma vez por semana em turno de quatro horas e mais espaço de dois finais de semana na sala para apresentação do resultado.anigif

 As inscrições para propostas para este ano de 2016 iniciam em 01 de junho de 2016 e finalizam em 15 de junho de 2016. Resultado da proposta selecionada será dia 20 de junho no respectivo blog para início da residência no espaço em julho de 2016 e turno e dia a combinar conforme disponibilidade da agenda da sala 209.

As inscrições para propostas para este ano de 2016 iniciam em 01 de junho de 2016 e finalizam em 15 de junho de 2016. Resultado da proposta selecionada será dia 20 de junho no respetivo blog para início da residência no espaço em julho de 2016 e turno e dia a combinar conforme disponibilidade da agenda da sala 209.

Encaminhar proposta sucinta da pesquisa a ser desenvolvida com currículo do artista/Cia. com turno e dias da semana de preferência do proponente para os e-mails – eduardosever@yahoo.com e lucian.tavares@gmail.com

Apoio :: Eduardo Severino Cia de Dança :: Ânima Cia de Dança :: Usina das Artes :: Usina do Gasômetro, Secretaria Municipal de Cultura e Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

 

IN/compatível?

IN/compatível? Teve estréia no ano de 2005 e agora em comemoração aos 15 anos de Cia. com uma produção ativa de forma ininterrupta resolvemos remontar este trabalho que é um dos mais emblemáticos de nossa trajetória, com elenco renovado, além do núcleo artístico principal da Cia. Luciano Tavares e Eduardo Severino fazem parte desta remontagem os criadores/intérpretes Andrew Tassinari e Viviane Gawazee.

cartaz INcompativel

O trabalho retrata a robotização da união entre quatro personagens através de uma linguagem contemporânea, com quatro personagens que se entrelaçam em seus sentimentos. Em cena, negociam seus sentimentos atrás de uma escrivaninha que também é mesa, cama e que também é chão, os intérpretes desenvolvem uma movimentação que sugere um mundo mecanicista com relações vazias, áridas e distantes, onde os corpos ficam evidenciados no intuito de questionar o culto ao corpo existente em nossa sociedade, o mecanicismo de nossas relações e a robotização de nossos comportamentos cotidianos.

A abundância de imagens e sensações sugeridas pelo cotidiano e a aridez e artificialidade nas relações humanas foi o ponto de partida para a pesquisa coreográfica e para a remontagem/recriação desta obra que traduz o mecanicismo de nossas relações e a robotização de nossos comportamentos cotidianos.

Trajetória

Estreou em 4 de junho de 2005, cumprindo temporada nos meses de junho, julho e outubro na sala 504/ Usina do Gasômetro/Usina das Artes.
Um estudo inicial teve pré-estréia na Mostra Dies de Dansa em Barcelona/Espanha em agosto/2004 e no encerramento do Arte no Solar da Assembléia Legislativa do Estado em Porto Alegre/novembro/2004.
Participou: Abril/Dia Internacional da Dança-Salão de Atos da UFRGS/Porto Alegre/2005; Agosto/Conesul Dança 2005 – Teatro São Pedro/Porto Alegre; Agosto/Temporada no Teatro Sete de Abril/Pelotas/2005; Janeiro/Mostra Verão-Teatro Renascença/Porto Alegre/2006; Janeiro/Melhores do ano- Prêmio Açorianos 2005- Teatro Renascença/Porto Alegre/2006 e El Cruce Festival de Artes Cênicas em Rosário/ Argentina/2006 e participação no FIDET/Escena doméstica/Santiago/Chile/2011 e um fragmento desta nova recriação com os quatro criadores/intérpretes participou do Festival Dançapontocom/2015.
A obra teve seis indicações ao Prêmio Açorianos de Dança da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre/2005, sendo indicado para: Melhor espetáculo, coreografia, produção, bailarino, figurino e trilha musical pesquisada
, recebendo o Prêmio por melhor coreografia, bailarino e trilha musical pesquisada.


Ficha técnica:

Concepção Coreográfica: Eduardo Severino e Luciano Tavares | Criadores/Intérpretes: Andrew Tassinari, Viviane Gawazee, Luciano Tavares, Junior Alceu Grandi e Eduardo Severino | Idéia de elementos cênicos: Luciano Tavares e Eduardo Severino | Consultoria de Figurino: Luciane Castro | Figurino: elenco | Consultoria Estética Óptica: Luís Henrique | Trilha Sonora pesquisada por Luciano Tavares: Evelyn Glennie, Operation Phoenix, John Hanks/Indigo , Candeia | Desenho de Luz: Luka Ibarra | Projeto Gráfico: Adriana Sanmartin | Fotografia: Natalia Utz | WebDesign: Luciano Tavares l Mixagem: Driko Oliveira/Jorge Foques | Registro audiovisual: João Gabriel de Queiros | Produção: Luka Ibarra e Ana Paula Reis / Lucida Desenvolvimento Cultural.


Serviço:

De 6 a 15 de maio

Dia 6 de maio – sexta feira – 20h / Dias 7 e 8 de maio – sábado e domingo – 19h

Dia 13 de maio – sexta – 20h / Dias 14 e 15 de maio- sábado e domingo – 19h

Onde – Sala 209 / Usina do Gasômetro / Porto Alegre.

Quanto – Inteira – R$ 30,00 / Meia – R$ 15,00 (classe artística, idosos e estudantes)

Informações: https://eduardoseverinociadedanca.wordpress.com


Realização/produção:

Lucida Desenvolvimento Cultural/Eduardo Severino Cia de Dança.

Apoio/colaboradores: Sustain Produções/ TVE e FM cultura/ Usina do Gasômetro/ Usina das Artes/ Secretaria Municipal de Cultura/Prefeitura Municipal de Porto Alegre/ Ânima Cia de Dança/ Rincão da Saúde/ Hashi Art Cuisine/ Pizza do Pão/Conectdance.

∑ Agradecimentos aos apoiadores/catarse ∑

Viabilização: Plataforma de Financiamento Coletivo Catarse

 Lu Mena Barreto

 Luciane Silveria Soares

 Alexandre Missel Knorre

 Mônica Fagundes Dantas 

 Ana Maria Vasconcelos

Edmilson Nunes da Silva

 Flavia Pilla do Valle

Daniel Sperb

Tatiana Nunes da Rosa 

 Laercio Luiz Sulczinski

 Caroline Grazieli Paz 

Luciana Paludo